terça-feira, 20 de agosto de 2013

Daniel - Avenida boiadeira


O poeta e eterno, a nossa homenagem.
Ao inesquecível Jose Fortuna

Como em quase todas as cidades
Há uma avenida onde passa o gado
Em minha terra também existia
Uma avenida sobre o meu passado

E foram tantas tardes de sol claro
Tantas e tantas nuvens de poeira
Que esta avenida hoje traz meu nome
Depois de ser estrada boiadeira

Velha avenida onde deixei
Rastro de infância que virou saudade
E hoje existe em cada esquina
Meu nome escrito para a eternidade

Foi a boiada longa do meu tempo
A passo lento em silêncio andando
Meu coração velho boiadeiro
Sabe que chega, mas não sabe quando.
Talvez quando as paineiras tenham
Aberto as suas flores perfumadas
Igual a um dia a paineira velha
Sua sombra serviu pra descansar boiada

Velha avenida...

Se a dor se escreve em lápide de pedra
Hoje encontrei em placas reluzentes
Meu nome escrito a brilhar por que
Esta homenagem recebi contente
Foram quarenta anos de trabalho
Que felizmente estão reconhecidos
Quando os meus versos para o céu voarem
Em minha terra alguém os tenha lido.

Velha avenida... (2x)