domingo, 28 de julho de 2013

Oswaldir e Carlos Magrão - Herança nativa


Eu trago o cheiro da terra em minhas narinas
E o perfumado ar das campinas
Nesta saudade em meu coração
Eu trago as lindas paisagens das verdes matas
E o murmúrio daquelas cascatas
Se debruçando no meu rincão
Eu trago a relva orvalhada daqueles campos
Poeiras de estradas e pirilampos
Que há muito tempo eu já não vejo
Eu vivo longe da terra onde eu nasci
Mas não esqueço que foi ali
Que aprendi a ser cancioneiro.

Minha terra natal
Oh minha gente querida
Minha amada e prometida
Que não esqueço jamais
A saudade eh cruel
Mas o coração tem asas
Um dia volto pra casa
E de lá não saio mais.

Eu trago preso no laço dessa lembrança
Lindos momentos de minha infância
Que não parecem envelhecer
Raizes no chão da alma
Apesar dos tempos
Mantendo vivas no meu pensamento
Coisas que nunca vou esquecer
Eu trago a herança nativa dos pajeadores
E o privilégio dos cantadores
Que da poesia são prisioneiros
Eu vivo longe da terra onde eu nasci
Mas não esqueço que foi ali
Que aprendi a ser cancioneiro.

Minha terra natal
Oh minha gente querida
Minha amada e prometida
Que não esqueço jamais
A saudade é cruel
Mas o coração tem asas
Um dia volto pra casa
E de lá não saio mais.