domingo, 21 de julho de 2013

Moacyr Franco - Milagre da flecha


Era alta madrugada, já cansado da jornada, eu voltava pro meu
lar
Quando apareceu no escuro, me encostando contra o muro, um
ladrão prá me assaltar
Com o revólver no pescoço, ainda expliquei pro moço, tenho filho
prá criar
Sou arrimo de família, leva tudo, me humilha, mas não queira me
matar

(refrão)

Ave Maria aleluia, ave Maria

Mas o homem sem piedade, um escravo da maldade, começou me
maltratar
Prá ver se eu tinha medo, antes de puxar o dedo, ele me mandou
rezar
Eu nunca tinha rezado, eu que era só pecado, implorei por
salvação
Elevei meu pensamento, descobri neste momento, o que é ter
religião

(refrão)

Um clarão apareceu, minha vista escureceu, e o bandido desmaiou
E morreu não teve jeito, com uma flecha no peito, sem saber
quem atirou
Nesta hora agente grita, berra, chora e acredita, que o milagre
aconteceu
De joelho na calçada, perguntei com voz cansada, quem será que me
atendeu

(refrão)

Já estava amanhecendo, a alegria me aquecendo, quando entrei na
catedral
Cada santo que eu via, eu de novo agradecia, e jurava ser leal
Veja o santo de passagem, não me toque nas imagens, me avisou o
sacristão
Pois lá ninguém explicava, uma flecha que faltava... na imagem
de São Sebastião

(refrão)